julho 24, 2024
24/07/2024

STF condena destruidor do relógio histórico do Palácio do Planalto a 17 anos de prisão

Telegram
Facebook
WhatsApp
Twitter

Imagens: Reprodução/Internet

 

Ministro Alexandre de Moraes vota pela condenação; decisão final depende de mais 10 ministros

 

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), emitiu seu voto nesta sexta-feira (21/06), decidindo pela condenação de Antônio Claudio Alves Ferreira a 17 anos de prisão. Ferreira foi responsável por destruir o relógio histórico do Palácio do Planalto durante os ataques de 8 de janeiro de 2023. A decisão final será tomada após os votos dos outros 10 membros da corte, em sessão virtual.

Moraes afirmou que “está comprovado, tanto pelos depoimentos de testemunhas arroladas pelo Ministério Público, quanto pelas conclusões do Interventor Federal, vídeos e fotos realizados pelo próprio réu e outros elementos informativos”, que Antônio Claudio Alves Ferreira participou e frequentou o QGEx, sendo invasor de prédios públicos na Praça dos Três Poderes. Ele utilizou violência ou grave ameaça com o objetivo de abolir o Estado Democrático de Direito, visando impedir ou restringir o exercício dos poderes constitucionais através da depredação e ocupação dos edifícios-sede dos Três Poderes da República.

Antônio está detido desde janeiro de 2023. O relógio histórico, um presente da Corte Francesa para a família real portuguesa em 1808, foi danificado durante os atos de 8 de janeiro de 2023, quando manifestantes invadiram a sede dos Três Poderes em Brasília. Além do relógio, artefatos históricos e vidros foram destruídos, gerando repercussões como a instauração de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI).

Atualmente, o governo da Suíça está encarregado da restauração da peça.

Vinkmag ad
Telegram
Facebook
WhatsApp
Twitter