julho 13, 2024
13/07/2024

Niterói contra queimadas: Defesa Civil une tecnologia e expertise humana para proteger áreas verdes da cidade

Telegram
Facebook
WhatsApp
Twitter
Niterói contra queimadas: Defesa Civil une tecnologia e expertise humana para proteger áreas verdes da cidade

Com o aumento das temperaturas, surge o alerta para um perigo antigo: o risco crescente de fogo em áreas verdes. Desde abril, o estado do Rio de Janeiro vive um bloqueio atmosférico que acentua a estiagem e diminui a umidade relativa do ar.

Atentos a essas circunstâncias atípicas para esse período do ano, os agentes da Prefeitura de Niterói anteciparam o Plano Inverno, do Programa Niterói Contra as Queimadas, e trabalham em um esquema especial de combate às queimadas.

A Secretaria Municipal de Defesa Civil e Geotecnia atua com um pacote de ações que une a experiência dos agentes, os voluntários dos NUDECs e o poder da tecnologia para mitigar os efeitos das mudanças climáticas na cidade.

O aquecimento global e a intensificação de fenômenos atmosféricos são realidades globais. No último mês, foram registradas 70 ocorrências de fogo em vegetação na cidade.

Em comparação com o que costumava ser registrado nesse mesmo período, foi identificado um aumento de 47 casos em relação à média dos anos entre 2019 e 2023. O Centro de Monitoramento e Operações da Defesa Civil também registrou um aumento de 30% de dias sem chuva nesse mesmo período.

Tecnologia e Prevenção

Diante desse cenário, é preciso se adaptar. O secretário municipal de Defesa Civil e Geotecnia, Eric de Oliveira, explica a importância de investir em novas formas de prevenção contra as queimadas.

“A partir de junho, nosso trabalho vai ganhar novos recursos e vamos otimizar ainda mais as respostas às emergências. Vamos instalar três estações meteorológicas focadas em qualidade do ar em pontos estratégicos de Niterói. O Morro do Boa Vista, o Morro do Morcego, Jurujuba e Ponta D’Areia vão receber sensores de fumaça que foram desenvolvidos em parceria com a UFF. Esses locais, que historicamente registram muitos casos de focos de fogo, vão ser a nossa primeira experiência com essa tecnologia focada em antecipar incêndios”, explica o secretário.

Vinkmag ad
Telegram
Facebook
WhatsApp
Twitter